De Graça! Bus Driver da Nomad!

A softwarehouse Nomad Factory ficou notória por seus plug-ins emuladores de processadores de efeito para estúdios profissionais, como os equalizadores valvulados da série Blue Tubes, o rack de amplificador e equalizador Analog Signature e outros plug ins que levaram estúdios e produtores a ganhar prêmios Grammy. São pacotes pagos, com preços variando de US$ 30 a US$ 200 (nas promoções) e que garantem resultado profissional nas mãos certas. O fundador da Nomad, Bernie Torelli, conseguiu via software, resultados muito próximos aos dos transistores e válvulas dos equipamentos analógicos, ainda que ele mesmo fosse modesto o suficiente pra dizer que eles só faziam um design vintage pras interfaces por uma questão de marketing, que esses emuladores não soavam como os equipamentos originais… mas o fato é que nunca se viu resenha ruim desses produtos.

Bernie estava com câncer há anos e morreu em janeiro com 60 anos de idade. A empresa, dentro de uma série e homenagens, liberou, em parceria com o site Don´t Crack um plug in para uso gratuito – o Bus Driver – compressor e saturador com emulação de válvulas, um software simples de usar e que oferece resultados fantásticos, especialmente por conseguir emular uma característica essencialmente física dos compressores óticos

Siga o link para download, escolha a versão para o seu sistema e instale o programa como plug in de sua DAW host. Eu usei num slot do rack de efeitos do mixer do FL Studio – em canais independentes e também como limiter na pista Master.

A interface é bem simples:

nomad2

 

Nos menus de cima encontramos presets especícificos para peças de bateria (o forte do programa), sintetizadores, guitarras, baixos e vocais, além de um preset para o canal master – o Light Mix Compressor.

Em 1 temos o botão que controla a saturação da válvula, 2 é o seletor de foco do medidor de VU 3 (se você sempre quis saber o que signifcava VU em VU meter e tinha preguiça de pesquisar, aí vai – volume unit – unidade de volume) 4 é o seletor da razão do compressor, sendo que o primeiro botão, muda a função para Limiter. 

E porque o hype em cima dos compressores óticos? Primeiro vamos entender como eles  funcionam. Um compressor ótico usa uma fonte de luz para alimentar o sinal. Um led é ligado a um transdutor que transforma energia elétrica do sinal de aúdio em luz. Quanto mais intenso o brilho desta luz, mais compressão está sendo aplicada. O interessante sobre isso é que o processo não é estático, a luz volta ser transformada em sinal elétrico e em luz novamente, num processo cíclico – o que dá uma característica específica a esse compressão, o ataque é bem lento. E os tempos de release variam de maneira não linear, com tempo dinâmicos, então a compressão e a aturação conseguem destacar certas frequências com mais intensidade.

Este post é mais uma notícia que uma resenha, o Bernie deixou um belo legado pra indústria de plug ins e a empresa não pareceu nada oportunista com a homenagem simpática. Não tem muito o que falar do Bus Driver, é fácil de usar, tem uma saturação absurda para bateria e um resultado bem peculiar. Não tinha plug in melhor pra abrir essa coluna De Graça!    

 

Niki Nixon

 

 

 

 

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − três =